Ming-Chi Kuo faz as suas previsões para o novo iPhone 6S, ou iPhone 7

O analista Ming-Chi Kuo tracejou as possíveis configurações do iPhone a ser lançado ainda este ano, cujo nome ainda não sabemos, mas poderá ser iPhone 7 ou iPhone 6S:

Force Touch, nos moldes do Apple Watch, e de igual maneira, poderá ser um dos gargalos na cadeia de produção do produto. O Force Touch certamente vai enriquecer a experiência do usuário, que desfrutará de novas formas de interagir com o seu precioso;

Tela de 4,7 e 5,5 polegadas, o tamanho deverá se manter igual,  e com a mesma resolução do modelo atual. Os rumores a respeito de um novo modelo com 4 polegadas se enfraqueceram;

Nova opção de cor, ouro rosa, semelhante ao do Apple Watch Edition;

Câmera traseira de 12 MP. A principal câmera do iPhone conta hoje com uma lente de 8 MP, e é uma possibilidade que a Apple coloque duas lentes na traseira. Há não muito tempo a Maçã adquiriu empresa pioneira nessa área;

Novo microfone, será adicionado um microfone, extra, perto do alto-falante para melhorar a qualidade da voz;

Processador A9, 2GB de RAM. Existem rumores que a Apple iria colocar no novo dispositivo um processador A9 atualizado, com 2GB. Se isso acontecer, finalmente uma das preces dos usuários finalmente se realizaria, mais RAM para o iPhone. Lembrando que o aparelho funciona bem com apenas 1 GB de RAM, tão bem quanto os Androids com 2GB e 4GB;

Novo material revestindo os iPhones, Alumínio série 7000, o mesmo do Apple Watch. A Apple parece que vai tornar o novo iPhone menos suscetível ao entortamento;

Leitor digital vai ser melhorado (mais ainda?), tudo em prol do Apple Pay;

Controle por gestos. O novo modelo poderá contar com um controle por gestos, e se espera que seja algo similar com o futuro controle da Apple TV, que ainda deverá ser lançada, provavelmente na Conferência da Apple no mês de Junho;

Vidro de safira? Em alguns modelos? Não circulam notícias evidenciando que a Apple teria resolvido o problema da produção em massa de safira, o suficiente para produzir telas para todos os seus iPhones. E ainda existe os problemas decorrentes do uso da safira…

Ainda de acordo com a fonte, a produção em massa começará no final de agosto. Ele estima que poderão ser produzidos de 80 a 90 milhões de unidades, com uma proporção de 2:1, modelos 4,7 polegadas e 5,5 polegadas, respectivamente. Acreditamos que essa estimativa é improvável, pois não haverá produto suficiente para concretizar essa previsão.

E você o que gostaria que fosse melhorado?

Fonte: MacRumors

Adeus película? iPhone 6 vem aí

Possuir um iPhone sem película está no mesmo patamar que não ter um seguro para o seu automóvel.

Entre os usuários de iPhone tem o grupo dos desastrados, dos desapegados, dos descuidados, tudo letra “D”. Ocorre que eles rotineiramente quebram ou danificam a frente de seus iPhones, alguns nem a trocam mais, os trincos passam a ser enfeites. Esse foi um dos motivos que tornou a película um dos acessórios mais comuns e necessários, mas isso pode mudar em breve.

Em post passado comentamos sobre o uso da safira nos futuros produtos da Apple , esse produto sintético poderá ser usado para o visor dos iPhones 6 e provavelmente para os iWatchs. O vidro de safira vai propiciar uma tranquilidade aos consumidores, com esse componente a tela do iPhone se tornará praticamente imune aos arranhões e muito mais resistente à queda. Esse aperfeiçoamento diminui a dependência nas películas. Outra vantagem será na qualidade de imagem que sofre uma leve distorção mesmo na melhor película.

Esses protetores de tela são comercializados por variados preços e são encontradas em tipos diversos, espelhados, com proteção de privacidade, personalizados, etc. É comum pagar um preço exorbitante pela película e a sua “instalação”. O comerciante chega a pagar menos de R$ 0,40 em película básica e a revende ao consumidor final por um preço entre R$ 10,00 e R$ 20,00.

O blogueiro Sonny Dickson, especializado em Apple, teve acesso ao suposto vidro de safira que poderá ser usado no iPhone 6 de 4,7 polegadas e gravou um video para avaliar o componente. As imagens são fortes, ele passa a faca no vidro, nem quebrá-lo Sonny consegue. Essa nova tela do iPhone 6 deve ter adamantium, confira o vídeo:

Fonte: iClarified

O luxo da safira poderá se tornar mais acessível por causa da Apple

Dicionário Informal: “A safira é um mineral do óxido de alumínio. Pode ser encontrada na natureza em forma de rocha ou pode ser produzida de forma sintética”

Muitos leitores já devem ter parado pelo menos uma vez na vida para admirar uma safira. A palavra safira vem do persa saffir, do árabe safir e do grego sapphiros (que significa amado de Saturno). Na língua inglesa é conhecida como sapphire. Essa pedra preciosa tem um significado místico, ela também é conhecida como “a pedra da boa sorte do destino”. Na tradição judaica foi com safira que as letras dos dozes mandamentos teria sido escrita.

A foto acima mostra a famosa Estrela da Índia, pode ser admirada em um dos museus mais legais do mundo, o Museu de História Natural, American Museum of Natural History, em Nova Iorque.

A safira natural é uma jóia muito cobiçada, tendo sido usada como ornamento de status desde os primórdios da civilização humana, patrícios romanos, realeza européia; a aliança da Lady Diana foi feita de safira. Na escala de Mohs, que mede a resistência dos minerais, a safira está na terceira posição,  9.25, atrás do diamante que está na primeira 10. No presente, as aplicações desse mineral são vastas e não se limitam a ornamentação.

É comum ao pesquisar relógios de luxo notar que os mais caros usam vidro de safira, mas atenção, trata-se de safira sintética, que mesmo não sendo a natural tem um custo mais caro, mas isso vai mudar um pouco.

A safira poderá se tornar um componente básico essencial dos produtos da Maçã, muito mais que isso, a empresa de Cupertino vai provocar uma revolução no uso da safira, assim como fez com o alumínio no passado. De acordo com diversos rumores a Maçã foi bem sucedida em um novo método de produção em massa de safira. Esse fato vai conflagrar uma verdadeira transformação na sociedade, pois os custos da safira vão ser drasticamente reduzidos e isso vai se refletir em equipamentos industriais, médico-hospitalares, equipamentos domésticos, eletrônicos e é claro, mercado de bijuterias também. Vai ser um efeito em cascata.

Observação: É até injusto chamar a safira sintética de bijuteria, pois ela tem a mesma dureza, e além disso é menos impura.

Foto: Macrumors

Atualmente a safira é usada como componente na superfície de identificação digital do iPhone 5S, mas ela está sendo usada na produção do iPhone 6, e não apenas naquele pequeno botão circular, mas também nas telas do iPhones 6, do futuro Apple Watch, e a melhor notícia é que não vai faltar safira. Se o iPhone já era uma jóia, vai se tornar literalmente um tesouro! De acordo com as fontes, a Apple está com capacidade de produção de 200 milhões de telas de safira.

Fonte: Macrumors