Como reservar e comprar um Apple Watch nos EUA

Quem está no Brasil nesse momento e quer fazer a aquisição de um Apple Watch, presencialmente, nos Estados Unidos vai necessitar elaborar uma estratégia para comprá-lo, no que tange a compra por reserva diretamente da Apple.

O requisito mais importante, e que acreditamos ser o mais intricado, é arranjar um número norte-americano de celular, que esteja ativo. É importante criar um ID Apple para facilitar a compra e o acompanhamento do pedido.  Com isso resolvido, eis o procedimento:

Primeiro acesse o site da Apple, região dos Estados Unidos,

Depois selecione a opção store ou Watch, e então procure pela opção “buy now” ou similar. Assim que selecionar o modelo, o usuário visualizará a seguinte opção:

“Interested in buying in-store?
Check reservation availability”

Clique nessa opção e o navegador abrirá uma página de reservas para aquele modelo, nela podem ser visualizados os locais que aceitam reservas. Quando testamos, apenas a Califórnia, Alaska e Idaho tinham o nosso modelo disponível.

Selecione o Estado e a loja

Em seguida a pessoa deverá informar o seu ID Apple e senha

E uma vez preenchidos os requisitos acima, a pessoa usuária deverá inserir um número de celular dos Estados Unidos.

Ao prosseguir deverão ser informados os dados do comprador, bem como o nome da pessoa e e-mail, que deverá retirar a reserva.

A tolerância de reserva é de 30 minutos, e o produto apenas será entregue à pessoa cujos dados foram anteriormente informados. Chegou atrasado não tem conversinha.

Ainda acreditamos que a melhor opção de compra é a do tipo online, mandando entregar em um endereço dos EUA. Boa sorte.

Anúncios

Diário do Apple Watch #1

Abrir a caixa foi uma experiência incrível, no meio de todo aquele entusiasmo, depois de aguardar um bom tempo para colocar a mão no produto, foi uma verdadeira afobação misturada à alegria.

E o depois, quando dissipa o véu da euforia e temos que encarar o relógio com a realidade, e aí? Será que o amor continua no ar? Essa pergunta deve estar ricocheteando na cabeça de muitos que estão incertos, sobre comprar ou não o vestível da Apple.

E por conta disso, e também na falta de matérias interessantes pra comentar, resolvemos adotar uma abordagem mais pessoal para tratar do relógio. Nós resolvemos fazer um diário, que não necessariamente será postado todos os dias, mas que evidenciará o uso do produto de uma forma mais rotineira.

O primeiro uso

O aparelho não requer nenhum esforço para ser configurado em sua ligada inaugural. É tudo feito de forma automática, bem simples e rápido.

Antes de adquirirmos o relógio inteligente da Apple nós resolvemos testar outros dispositivos, o Pebble e o Jawbone UP 24. A pulseira fitness quebrou após menos de 3 meses de uso, sem mais nem menos, descobrimos que este modelo é muito problemático. O Pebble sempre funcionou perfeitamente até que resolvemos, agora, aposentá-lo por causa do Apple Watch. Logo de início, numa primeira comparação, o Pebble perde na beleza exterior e na resolução de tela.

Notificações

Usávamos o Pebble apenas para o recebimento das notificações, eis que esta é praticamente a sua única função. E para o Apple Watch, neste momento inicial, adotamos o mesmo perfil de uso, ele tem servido para notificar. E o que estamos achando do sistema de notificação do Apple Watch?

Numa comparação grosseira, o sistema de notificação deles é semelhante. O WhatsApp, que é o app mensageiro mais usado, não mostra no relógio da Maçã o preview das imagens enviadas, ou do áudio, apenas notifica o usuário para que ele tome conhecimento de que houve o recebimento deste tipo de mensagem, tal como ocorre com o Pebble. O grande diferencial do Apple Watch, além das cores e da resolução da tela, é a taptic engine que simula algo similar a um peteleco no pulso da pessoa, para tornar a notificação uma experiência sensitiva mais interessante.

Esperávamos no campo das notificações algum diferencial para o WhatsApp, mas ainda não houve. De repente, isso é algo que dependa dos programadores do aplicativo e não dos relógios mencionados.

O interessante de nossa experiência é que estamos sem chip móvel, então só estamos usufruindo o relógio quando conseguimos encontrar wifi, em decorrência dessa situação estamos com um uso tão moderado do produto que no final do dia, às 11 horas da noite, a bateria do relógio ainda está ficando em torno 60%. Com as ligações recebidas e enviadas, no futuro, esse rendimento deverá cair sensivelmente.

Em breve deixaremos mais anotações.

Boas novidades para o Apple Watch até Junho

O relógio do futuro é só alegria. E para agradar ainda mais os seus usuários, a Apple está preparando um pacote com boas novidades para o seu filho mais novo.

De acordo com os rumores, uma das novidades poderá ser o “Find my Watch”, o equivalente ao “Find my iPhone”. A Apple estaria implementando uma funcionalidade chamada “smart leashing”, algo como “coleira inteligente”. O vestível se conecta ao wi-fi do iPhone que mantém uma informação da localização do dispositivo. Essa funcionalidade é um alívio, pois um dispositivo com esse fica muito visado. E dado o seu tamanho diminuto e autonomia de bateria, não é algo incomum tirá-lo do pulso com a possibilidade de esquecê-lo em algum local.

A Apple também poderia estar desenvolvendo novas funcionalidades de saúde para o device. O dispositivo da Maçã pode vir a oferecer o recurso de pressão sanguínea, monitor de sono e eventualmente até medidor de glicose. E não para por aí, Cupertino também pode estar em vias de permitir aos desenvolvedores criarem suas próprias “Complications” no Watch Faces. Complicações é o nome do recurso do iPhone, parecido com pequenos widgets, podem indicar bateria, atividades, notificações. A tradução ao português se tornaria melhor, talvez, com o uso da palavra miscelâneas…

A nova Apple TV deverá ser totalmente integrada ao Apple Watch. Entretanto, sobre Apple TV é provável que os seus mistérios sejam desvendados apenas na WWDC de 2015, a ser realizar aos dias 8 a 12 do mês de Junho.

A nova Apple TV deverá ser totalmente integrada ao Apple Watch. Entretanto, sobre Apple TV é provável que os seus mistérios sejam desvendados apenas na WWDC de 2015, a ser realizar aos dias 8 a 12 do mês de Junho.

Fonte: 9to5Mac

Tinder ganha suporte para o Apple Watch

It’s match time!!!!

A “brincadeira” da “pegação” mais divertida e eficiente dos últimos tempos adere aos vestíveis. A conquista ganha uma nova máquina de cerco, o Apple Watch. Nem as muralhas de Constantinopla estariam seguras das garras virtuais deste app chamado Tinder.

Pra quem não conhece:

“O Tinder é um jeito divertido de se conectar com pessoas novas e interessantes próximas de você. Passe as fotos para a direita para curtir ou para a esquerda para passar. Se alguém curtir você de volta, vocês combinam! Converse com sua combinação ou tire uma foto para compartilhar um Momento com todas as suas combinações de uma vez. É uma nova maneira de se expressar e compartilhar com seus amigos.”

Brincadeiras colocadas de lado, o Tinder é uma solução social para pessoas que não dispõe de tempo ou paciência para conhecer outras pessoas em baladas e em ambientes similares. É um recurso social eficaz no objetivo de aproximar as pessoas.

O app se tornou um freemium (com opção até de mensalidade de U$ 1,99) algo que desanimou a muitos, talvez a popularidade e qualidade tenha diminuído, ainda sim ele continua sendo uma referência mundial.

Esse aplicativo de “paquera” tem os seus méritos, pois possui uma interessante integração com o Facebook, que permite selecionar pessoas por afinidades comuns, tem uma interface intuitiva, leve e bonita. É bem interessante de usá-lo durante uma viagem, para conhecer outras pessoas. O Tinder foi responsável por um grande feito, ele massificou a “paquera” online.

Algumas informações a respeito do patch:

– Compatibilidade com o Apple Watch, e possibilidade de chat direto do relógio. – Melhorada nos perfis. – Integração com o Instagram, diretamente com o seu profile do Tinder. – Expansão de procura em amigos em comum, até o sexto grau. – Melhorias e correção de bugs.

Se você é uma pessoa solteira ainda recomendamos que o experimente, é de graça:

Link do Tinder