AirPods, vale a pena comprar esses fones mágicos – opinião

A resistência

“Jamais comprarei os AirPods”. Essa era uma ideia que eu tinha tinha desde o lançamento do referido produto em 2016. Eu defendia que eles deveriam vir como acessórios inclusos com o iPhone e não algo para adquirirmos em separado. Entretanto, ao observar e ouvir algumas coisas sobre esses notáveis auscultadores o dito propósito fraquejou.

Certa manhã eu estava no Mall at Millenia, a loja da Apple estava apinhada de gente, ainda na euforia do lançamento do iPhone X. Lá dentro do estabelecimento avistava-se uma moça bem apessoada. Ela elegantemente equilibrava várias caixinhas de AirPods. No meio daquela babel eletrônica um simpático fanboy lhe ofereceu ajuda e ousou uma pergunta:

– E por que esse tanto de AirPods?

Ela respondeu:

– São vários presentes de Natal. É o melhor que eu poderia dar, sei disso porque tenho um. E foram os fones de ouvido mais legais que já tive.

Achei a cena interessante e quando eu retornei de viagem, em um reencontro de amigos o assunto descambou para compras e Apple. Ao ouvir a história acima um dos meus amigos contou-me que havia comprado “um daqueles fones sem fio da Apple”,  e remoía apenas uma grande e única lamentação:

– O meu único arrependimento é o de não ter comprado esses AirPods antes.

Essas circunstâncias minaram de vez a minha resistência, resolvi ler e assistir a diversos reviews sobre o referido produto e tão logo houve uma oportunidade eu o comprei. E assim que eu pude manusear os fones, eu tive a certeza de que eles haviam sido uma das grandes inovações da Apple dos últimos tempos. A experiência é de fato “amazing”.

O unboxing

Depois de abrir a caixa dos AirPods, simples e pequena, encontrei um estojo ainda menor, do tamanho de uma chave de carro, dentro dele ficam acondicionados os fones. Tudo tão pequeno e delicado que me lembrou o prazer de abrir uma Matriosca. O primeiro impacto foi mesmo surpreendente, pois o produto tem um apelo visual e naquele padrão da Apple, sempre atenta aos mínimos detalhes. Isso se nota em cada sensação tátil, no barulho ao abrir a tampa, na qualidade dos imãs, que seguram os fones e nas demais peculiaridades do produto. No interior da caixa também encontrei três manuais e um cabo lighting. Não achei o tradicional adesivo que acompanha muitos dos produtos da Maçã, e que no Brasil eu considero um atrativo para criminosos.

O uso

Imediatamente após abrir a tampinha do estojo os fones são detectados pelo iPhone. Ao inserir o primeiro fone na orelha escuta-se o som de um bipe que indica o reconhecimento da inserção. Essa reação do produto é bem legal. Outra novidade é que ao retirar um fone do ouvido a música é automaticamente interrompida, ao colocá-lo de volta, a música volta a tocar.

Eu costumo usá-lo para ir malhar e os fones tem ficado firmes, não apenas na musculação, mas também nas corridas praticadas na esteira. Os fones ficam tão confortáveis sem os fios que não foram poucas as vezes que eu simplesmente os esqueci em minha orelha. Algumas pessoas poderão experimentar descobertas diferentes em razão de uma anatomia distinta.

Eu creio que acabaram as preocupações com os fios enrolados, é uma coisinha chata ficar desenrolando-os toda vez que se resolve usá-los. Outro ponto forte é a elegância que eles eles transmitem, seja combinados com uma roupa de malhação, seja trajando um terno, é definitivamente uma coisa fina, sofisticada e destoa, de forma discreta.

Eu sempre me lembro do assistente do Lando Calrissian em Guerra nas Estrelas VII, na cidade flutuante de Bespin, ele usa uns fones para seguir as ordens de seu patrão. É bacana ver a ficção científica sendo ultrapassada com folga pela realidade. Hoje quando eu vejo as pessoas usando os seus fones de ouvido, todos eles se parecem com um utensílio do passado.

Os comandos do device seguem a premissa futurística da Apple, simplicidade, as opções “manuais” são apenas duas, e configuráveis, por sensor de tato, nos próprios fones. Todas as outras opções são dependentes do uso da Siri, ou pelo próprio iPhone. Eu uso o Apple Watch, por isso para a maioria dos controles básicos eu tenho o hábito de operá-los diretamente do próprio relógio.

Alguns podem questionar sobre a autonomia da bateria. Certamente essa será uma impressão muito particular de cada usuário. Na minha experiência pessoal ela tem me atendido de maneira excepcional. Não houve nenhuma ocasião em que esse fator tenha me causado qualquer frustração. Ao contrário, achei muito inteligente e prática a simbiose da caixa com os fones e o seu carregamento.

Descobri tardiamente que existe uma indústria de acessórios voltada para os AirPods, de produtos e serviços, como pinturas personalizadas, decalques, películas, cases. Um desses acessórios agregados me chamou a atenção, os earbuds, que são pequenos encaixes de borracha ou silicone para manter mais firmes os AirPods na orelha. O que não faltam são opções para decorar e melhor aproveitar esse produto. Em razão disso tudo eu confiro nota máxima a usabilidade dos AirPods.

A qualidade do som

Eu não sou entendido de som, a minha audição não é a das mais refinadas, todavia eu sou uma pessoa chata e um mero ruído ou distorção podem me incomodar profundamente. Ao contrário do meu BOSE QC35, pelo qual eu sou apaixonado, e uso em todas as minhas viagens, os fones da Apple não parecem oferecer uma vivência sonora descomunal, mas entrega uma qualidade de sonido bem satisfatória e firme. Eu não notei qualquer interferência ou deformação na qualidade da reprodução das músicas ante a ausência dos fios. É importante destacar isso, pois trata-se de um dispositivo de bluetooth. O chip W1 é o responsável por essa conexão de dados e desempenha essa tarefa com extrema eficiência.

A conclusão

Ouvir música se tornou mágica e a Apple foi bem sucedida neste truque. O grande segredo dessa ferramenta auditiva não está no som que entrega, mas na forma encantadora com que faz essa transmissão. O preço pode ser considerado o grande vilão, mas se compararmos algumas outras opções do mercado, que são mais caras, e equilibrarmos com os pontos positivos mencionados, é possível concluir que os AirPods são uma boa aquisição, ainda que supérflua. A Maçã inventou o celular inteligente, o relógio inteligente e a agora inova com os fones de ouvido inteligentes. Vale a pena comprar os AirPods? Eu digo sim.

E você o que acha?

Anúncios

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s