Vem aí o iPhone 5SE

O título contém incertezas, pois o assunto a ser tratado aqui trata-se de rumor. Mesmo assim, pode confiar, ainda neste semestre a Apple possivelmente apresentará ao mundo o mais novo membro de sua linhagem, o iPhone 5SE.

Em princípio, o caçula da família Cupertiana não será um sucessor do iPhone 5C, tampouco terá como metas abastecer mercados de países em desenvolvimento, servindo como um iPhone de preço mais atraente. Dessa vez, parece que a Maçã quer realizar o desejo daqueles consumidores que apreciam uma tela com as proporções menores. O tamanho aproximado da tela desse novo modelo será de 4 polegadas.

Já tratamos disso anteriormente, em priscas eras as empresas de celular competiam para tornar a tela e o próprio celular cada vez menores. Com o advento do iPhone e o estabelecimento sólido dos smartphones no mercado, a competição se tornou para ver quem fabrica as maiores telas. A Apple saiu de sua zona de conforto e aumentou o tamanho de toda a sua linha produtos, até mesmo do iPhone pra não perder relevância.

A nomenclatura desse modelo não vai seguir a lógica estampada no iPhone 5C. Ué, mas de C passa para E? Nós também não entendemos. Dizem que o iPhone 3GS (S de Speed) foi idéia do Tim Cook, então pode ser que esse SE tenha sido mais uma de suas declarações de amor ao alfabeto. Eis as principais especulações em torno do novo aparelho:

  • No formato externo e bordas ele se assemelhará aos iPhones 6 e 6S;
  • O dispositivo oferecerá uma câmera traseira de 8 megapixel e a dianteira de 1.2 megapixel, mesmo sistema do iPhone 6;
  • Terá suporte para panoramas maiores e autofocus na gravação de vídeos;
  • Possuirá um Barômetro para registrar elevações;
  • Conterá um chip NFC para Apple Pay;
  • O chip a ser usado será o A9/M9;
  • Bluetooth 4.2, VoLTE, e chip wi-fi 802.11ac, mesmo do iPhone 6S;
  • Live Photos também do iPhone 6S
  • Cores Prata, Cinza Espacial, Ouro, Ouro rosa, mesmas opções do iPhone 6S;
  • Capacidade 16GB e 16GB (lembrando como sempre, evitar a todo custo o 16GB)

E aí, se interessou? O E seria de Edge? A Samsung também quer saber. Nos deixe aqui a sua opinião!

 

Anúncios

Apple disponibiliza lista de carros com CarPlay

Ao contrário que pode parecer pelo nome à primeira vista, o CarPlay não é um carro de playboy, trata-se de um sistema concebido pela Maçã para funcionar em automóveis, integrando-os com o iPhone.

Em grosso modo os veículos automotores ficaram durante décadas às margens da era digital, e agora, parece que, finalmente estamos assistindo a uma expressiva aproximação entre setores distintos da indústria.

Em princípio, o CarPlay está associado com o conteúdo multimídia, mas a tendência é que no futuro os veículos fiquem mais sofisticados e utilizem um sistema operacional comum para outras diversas funções. Em longo prazo, o carros poderão se tornar terminais computadorizados com locomoção.

Retornando ao foco, ao assunto da inovação tecnológica nos painéis multimídias, essa aventura  capitaneada pela Apple procura enriquecer a experiência do usuário durante a utilização de veículo automotor e torna mais mais necessário o uso de gadgets, do qual o sistema é dependente, pelo menos neste primeiro momento.

Aos interessados em adquirir um carro nos próximos anos e que são entusiastas da tecnologia, a Apple disponibilizou uma página que indica as montadoras e veículos com o CarPlay. Nessa lista merece destaque a Volkswagen, que possui o maior número de automóveis com o CarPlay e que foi pioneira em trazer a novidade ao Brasil.

Obviamente, o oferecimento desse recurso será ditado de forma diferente, a depender de cada localidade nacional. No Brasil é comum capar os carros e oferecer alguns recursos de fábrica apenas nos modelos mais “luxuosos”, como se fosse um diferencial. De qualquer maneira essa é uma novidade muito bem-vinda.

E você, já experimentou ou quer experimentar o CarPlay no seu carro?

Abaixo o link para a página da Apple sobre o CarPlay:

Apple Music alcança 10 milhões de assinantes

 

O mais novo serviço pago da Apple alcançou a marca de 10 milhões de assinantes pagos. Trata-se do Apple Music, o serviço de streaming musical made in California.

O número pode parecer pequeno diante da opulência financeira da Maçã, mas é uma marca que não pode ser ignorada. O Spotify, concorrente direto do Apple Music, alega ter pelo menos 25 milhões de usuários em sua versão premium e era suposto que teria 100 milhões de usuários totais ao final do ano de 2015.

Mesmo com esse crescimento, o Apple Music ainda tem muito chão pela frente. O aplicativo não é intuitivo como deveria, não possui uma conexão com redes sociais para permitir uma interatividade entre os seus assinantes, e junto com isso, vem o outro desafio, jamais será popular no sentido literal, pois não possui versão gratuita com propagandas, todos pontos fortes do Spotify.

Para testar o serviço basta acessar o app nativo do iPhone “Música”, a Apple oferece 3 meses gratuitos para você decidir o que acha. Os usuários de Android podem baixar o aplicativo em sua loja Google Play.

E você, utiliza algum serviço de streaming musical? O que achou da sua experiência com o Apple Music?