iPhone completa 8 anos, a revolução do bem

Há exatos 8 anos, no dia 29 de Junho de 2007, o primeiro iPhone era lançado e uma revolução tinha seu início. Essa data foi um divisor de águas marcante e uma vitória para o consumidor. Até então ele estava preso ao que ditavam as operadoras de celular e ao baixo e caro padrão de aparelhos impostos pelas fabricantes tradicionais. Foi mais que o lançamento de um novo produto, houve também a transição de conceitos na indústria e no mercado de consumo, na sociedade como um todo. Das coisas pequenas às grandes a rotina da humanidade nunca mais foi a mesma.

A Apple criou uma nova fronteira agrícola digital, até os seus concorrentes foram agraciados com o novo campo que se abriu. Milhares de empresas surgiram do nada e algumas se valorizaram na casa dos bilhões. E considerando que uma coisa puxa a outra, o fenômeno do Youtube, Facebook está intimamente associado ao mundo dos smartphones. Hoje em países como o Brasil as pessoas já passam mais tempo na internet que vendo televisão. Se na terra da novela está assim, imagina em outros lugares.

Quando Steve Jobs mostrou ao mundo a jóia da tecnologia chamada iPhone, ele provocou uma metamorfose de hábitos, padrões e demandas que foram muito além do próprio dispositivo celular e de seus compradores. O mercado como um todo mudou, o mundo mudou. O visionário co-fundador da Apple elevou a importância da tecnologia para um patamar de bom gosto, que compreende até a arrumação dos fios dentro do produto.

A exigência por uma mercadoria de qualidade, e de recursos que realmente funcionam bem, puxa consigo uma demanda de alto nível para outros gêneros e serviços, públicos ou privados. Muitos que não conheciam a Apple passaram a ter conhecimento de sua existência e de suas premissas tecnológicas, e comungaram com a mesma visão de tecnologia, beleza e praticidade. Foi um efeito em cadeia, surgiu uma nova cultura e as pessoas passaram a cobrar por soluções mais qualificadas. Elas se tornaram mais exigentes e informadas.

A Apple se tornou foco central de tendências, basta ver um exemplo simples, o formato de layout e mídia que Cupertino emprega em suas atividades, é tudo exaustivamente copiado, ou inspirado, no design de sítios de internet, softwares, produtos e em diversos comerciais e em outros segmentos. Até o conceito de decoração de suas lojas é exaustivamente copiado ou inspirado. As pessoas deram mais importância às fontes, mesmo sem saber.

É muita coisa pra enumerar, mas com o iPhone as pessoas passarão a estar mais conectadas à tecnologia e o mundo encolheu mais um pouco diante de tantos avanços que acompanharam este smartphone. Houve uma revolução dos meios de transmissão de dados que foram melhorados com vistas a se adequar a demanda do novo perfil de usuários, o uso de internet móvel foi massificado com o ponta pé inicial da Apple. O cotidiano das pessoas ao redor do mundo foi alterado em profundidade.

O iPhone é um diário, é um cofre, é um retrato, é um computador de bolso, é um canivete suíço, é muitas coisas ao mesmo tempo, e tornou-se essencial na vida de muitas pessoas, é muito mais que um mero comunicador.

O que mais nos admira na Apple, é que ela liderou essa revolução ostentando bandeiras como a da ética, de respeito a natureza, beleza, satisfação do consumidor, do trabalhador, ela abraçou todos os bons valores ao mesmo tempo e nos brindou com o iPhone.

Um brinde ao iPhone e a todos os que o idealizaram e o trouxeram ao mundo, parabéns por 8 anos! Viva a inovação e a vitória do bem!

Anúncios

Disney proíbe o pau de selfie

O pau de selfie vem gerando polêmica, pode ser considerada uma ferramenta útil pra alguns, ou a relíquia da vaidade para outros.

Em qualquer viagem é possível avistar casais e viajantes solitários segurando os seus paus de selfie. Apenas quem já viajou sozinho pode entender o tamanho da utilidade desse popular bastão para fotos.

Apesar de poder ser considerado um instrumento útil para fotografias, e que nos faz dispensar o incômodo de pedir para alguém clicar as nossas fotos, é um objeto que está sendo banido aos poucos, de muitos lugares.

Independente de sua finalidade existencial, o pau de selfie gera preocupações não apenas responsáveis por museus e parques, mas também de autoridades, pois pode ser usado de outras maneiras, servindo até mesmo como arma branca.

Ademais, em locais entupidos de gente um pau de selfie pode incomodar, agora imagine um espaço cheio de pessoas e também de diversos paus de selfie, incomoda muito mais.

Em muitas atrações de parques de Orlando, nos Estados Unidos, a pessoa não pode entrar no brinquedo com o referido acessório. Em montanhas russas, por exemplo, existe o risco da pessoa soltar o objeto e haver a possibilidade disso causar algum evento danoso.

A Disney, dona do maior conglomerado de parques temáticos do mundo, por esses e outros motivos se posicionou contra o pau de selfie. A medida visa assegurar o conforto, segurança de todos. Será que essa é uma tendência?

O que você acha dessa medida?

Force Touch no iPhone 6S, a Bloomberg diz que sim!

O Force Touch é um novo recurso que funciona incrivelmente bem e pode ser encontrado no Apple Watch. Não se trata apenas de uma mera vibração de resposta ao comando, é bem mais que isso. É uma comunicação viva entre o device e o usuário, pois o retorno do sistema é dado observando-se a intensidade da pressão feita.

Para o Apple Watch, por ter uma tela muito pequena, essa é uma ferramenta essencial, pois contorna essa limitação, tornando a interação com o produto bem completa.

Ao longo de nossa experiência com o Watch OS fomos tomados de empatia com o hábito de pressionar com mais firmeza para executar algum comando no nosso relógio, que hoje não saberíamos fazer diferente.

O novo MacBook e novo MacBook Pro Retina 15 também possuem esse novo recurso, que funciona com uma precisão incrível, causa uma sensível admiração, contudo é um utensílio que nestes computadores, tão ricos de opções interativas, com o melhor track pad do mundo, não se faz tão necessário, pelo menos numa análise superficial, e de gente usando o mouse… 😁

E vamos para a novidade:

De acordo com a Bloomberg, os novos iPhones que serão lançados ainda este ano, contarão com o Force Touch também! Não sabemos como vai funcionar, em que ponto da tela poderá ser usado, ou se será em toda a superfície do ecrã. De qualquer sorte, programações ocultas achadas no futuro iOS 9 indicam que será um novo instrumento na próxima geração do iPhone.

Apple Watch no Brasil? Tire o seu cavalinho da chuva!

A Apple anunciou os novos países “agraciados” com o seu produto mais pessoal até hoje lançado, estamos falando do Apple Watch. Os países foram: Itália, México, Cingapura, Coréia do Sul, Espanha, Suíça e Taiwan.

E se você acha que está quente e pode vir fervendo, trate de tirar o seu cavalinho da chuva, pois o Brasil tem todas as chances de ser o último país a ter esse lançamento.

Não se trata de pessimismo, mas simples raciocínio lógico. O real está entre as moedas mais desvalorizadas do mundo, numa economia que praticamente está encolhendo.

Não existe falta de amor da Apple em relação ao nosso país e ao nosso povo, existe a falta de amor do nosso próprio povo consigo mesmo. Então, se você intenciona comprar este relógio, as suas saídas são as seguintes:

– comprar de atravessador, pesquise muito antes de fazer isso;

– comprar em uma viagem;

– pedir para alguém trazer para você, será necessário comprar online e mandar entregar, ou tentar a sorte, muita sorte, na modalidade pick up;

– aguardar até quem sabe setembro, com preços brasileiros estratosféricos.

Boa sorte, estamos de olho aqui também.