A diferença entre Bill Gates e Steve Jobs, de acordo com Steve Wozniak

Steve Wozniak, o gênio co-fundador da Apple, deixou uma participação em um programa do canal da National Geographic, “American Genius”. Ele revelou um dos pontos fundamentais que diferenciava Steve Jobs de Bill Gates.

A Microsoft e a Apple já namoraram e brigaram algumas vezes, mas esse conflito não semeou apenas a discórdia, mas também o futuro.

A distinção marcante entre Jobs e Gates está exatamente na visão de mundo entre eles, e como imbuíram as suas companhias com a mesma óptica. De acordo com Woz, Jobs tinha uma visão muito futurista das coisas, quase uma ficção científica, enquanto Gates tinha um pragmatismo, uma habilidade de pensar em coisas mais presentes e necessárias. Para Wozniak Bill Gates sabia enxergar lucro a curto prazo. E essa era uma das maiores diferenças entre eles.

A perspectiva do companheiro de Jobs é bem interessante. A Apple sempre teve uma tendência elitista, enquanto a Microsoft trilhou sempre um caminho de maior abrangência e massificação. Tanto Bill Gates e Steve Jobs foram gênios, e a rivalidade entre eles possibilitou coisas incríveis.

E por isso, de igual forma, nós encaramos como algo similar a rivalidade entre a Apple o Google, pois este último tem desempenhado o papel da Microsoft no passado, massificando as idéias da Maçã, por preços menos mais justos.

Fonte: Business Insider

A festa do Fandroid, novo bug ataca iPhones, no iMessage

effective.  Power لُلُصّبُلُلصّبُررً ॣ ॣh ॣ ॣ 冗

Nem sabemos se funciona, mas parece que copiar e colar o texto acima pode provocar bug em iPhones. Teste 1 2 3…

effective.  Power لُلُصّبُلُلصّبُررً ॣ ॣh ॣ ॣ 冗

Sim, funciona…

Infelizmente…

Esse bug, pelo que testamos em nosso device, funciona da seguinte forma: se uma pessoa enviar, pelo iMessage, o texto citado, o aparelho vai sofrer um “tilt”. Felizmente o problema não é fatal e já existem alguns corretivos que podem ser usados.

Para corrigir o bug no iMessage, os usuários podem mandar uma mensagem de seu próprio aparelho pela Siri, ou enviando uma imagem pelo aplicativo de Fotografia. E enviando uma mensagem para o remetente original também fixará  bug. Para impedir que isso aconteça novamente, os usuários podem desabilitar a notificação de banners do app.

Os engenheiros da Apple já estão cientes do problema, mas até o momento não existe prazo para a sua correção. Enquanto isso, a Apple disponibilizou uma página para ajudar quem foi atacado pelo bug:

https://support.apple.com/en-us/HT204897

Diário do Apple Watch #2

“É bonito!” Essa foi a nossa primeira frase ao bater os olhos no Apple Watch de aço inoxidável com pulseira estilo milanês.

Estética do produto

E com a rotina o encantamento permaneceu inabalável. Aliás, com o passar do tempo é possível notar os detalhes, que houve uma preocupação com o acabamento do produto, com o seu design e a qualidade de material. A sensação de usar esse relógio é ímpar, pois ele não é apenas um gadget, mas também um ornamento.

Sim, a pessoa usuária de um Apple Watch está usando um adereço de classe. Não é um relógio qualquer, tampouco é um vestível qualquer. É uma belezura no braço. A coroa e o botão estão onde deveriam estar. O produto tem um desenho bonito, é a mistura de tecnologia com com a tradição secular de um relógio. O resultado é harmônico e agradável aos olhos. A prova disso é que não é um artigo espalhafatoso que chama a atenção de todos em volta. Então, se o seu objetivo é ostentar, o Apple Watch não é uma boa opção.

Ao longo de nossa experiência, resolvemos trocar a pulseira estilo milanês pela branca esportiva. A combinação é igualmente  perfeita. Optamos pelo branco, pois em nossa opinião este modelo não assenta muito bem com a pulseira esportiva preta. A  nova pulseira se mostrou ultra confortável e possui um material muito agradável de ser tateado e esfregado. Além disso, ela ficou muito bem acomodada ao braço e o visual também é bonito.

Já usamos relógios caros, mas usar esse relógio da Apple é uma experiência diferente.

Diário do Apple Watch #1

Abrir a caixa foi uma experiência incrível, no meio de todo aquele entusiasmo, depois de aguardar um bom tempo para colocar a mão no produto, foi uma verdadeira afobação misturada à alegria.

E o depois, quando dissipa o véu da euforia e temos que encarar o relógio com a realidade, e aí? Será que o amor continua no ar? Essa pergunta deve estar ricocheteando na cabeça de muitos que estão incertos, sobre comprar ou não o vestível da Apple.

E por conta disso, e também na falta de matérias interessantes pra comentar, resolvemos adotar uma abordagem mais pessoal para tratar do relógio. Nós resolvemos fazer um diário, que não necessariamente será postado todos os dias, mas que evidenciará o uso do produto de uma forma mais rotineira.

O primeiro uso

O aparelho não requer nenhum esforço para ser configurado em sua ligada inaugural. É tudo feito de forma automática, bem simples e rápido.

Antes de adquirirmos o relógio inteligente da Apple nós resolvemos testar outros dispositivos, o Pebble e o Jawbone UP 24. A pulseira fitness quebrou após menos de 3 meses de uso, sem mais nem menos, descobrimos que este modelo é muito problemático. O Pebble sempre funcionou perfeitamente até que resolvemos, agora, aposentá-lo por causa do Apple Watch. Logo de início, numa primeira comparação, o Pebble perde na beleza exterior e na resolução de tela.

Notificações

Usávamos o Pebble apenas para o recebimento das notificações, eis que esta é praticamente a sua única função. E para o Apple Watch, neste momento inicial, adotamos o mesmo perfil de uso, ele tem servido para notificar. E o que estamos achando do sistema de notificação do Apple Watch?

Numa comparação grosseira, o sistema de notificação deles é semelhante. O WhatsApp, que é o app mensageiro mais usado, não mostra no relógio da Maçã o preview das imagens enviadas, ou do áudio, apenas notifica o usuário para que ele tome conhecimento de que houve o recebimento deste tipo de mensagem, tal como ocorre com o Pebble. O grande diferencial do Apple Watch, além das cores e da resolução da tela, é a taptic engine que simula algo similar a um peteleco no pulso da pessoa, para tornar a notificação uma experiência sensitiva mais interessante.

Esperávamos no campo das notificações algum diferencial para o WhatsApp, mas ainda não houve. De repente, isso é algo que dependa dos programadores do aplicativo e não dos relógios mencionados.

O interessante de nossa experiência é que estamos sem chip móvel, então só estamos usufruindo o relógio quando conseguimos encontrar wifi, em decorrência dessa situação estamos com um uso tão moderado do produto que no final do dia, às 11 horas da noite, a bateria do relógio ainda está ficando em torno 60%. Com as ligações recebidas e enviadas, no futuro, esse rendimento deverá cair sensivelmente.

Em breve deixaremos mais anotações.

6 gomos na barriga com a ajuda de Apple Watch

Difícil acreditar em milagres, principalmente para dinheiro ou barriga sarada.

Recentemente lemos um post da Cult of Mac sobre um sujeito que se transformou fisicamente graças aos gadgets. Será que isso é possível?

E conhecendo um pouco os vestíveis fitness, como o Jawbone UP 24, e agora o Apple Watch, podemos realmente crer na verossimilhança de tal afirmação.

Esses produtos são mais que meros medidores, são dispositivos que também são idealizados para estimular. A grande jogada de alguns vestíveis é criar um ambiente propício para que a pessoa sinta-se motivada a se “movimentar”. Alguns apps do iPhone tem essa proposta, e cumprem a sua função com notável sucesso, um exemplo e altamente indicado é o Corra 5K.

No Apple Watch esse conceito de motivação está inserido no ecossistema do device. Quando ficamos muito tempo parados, o aparelho nos adverte e nos orienta a levantar. Existe uma reação positiva do sistema ao cumprimento das metas, uma organização de “achievement”. Ainda é algo incipiente, o acompanhamento do Jawbone é mais intenso, e de outros trackers também. Entretanto, o sistema do relógio da Apple tem os seus encantos, bem como as suas peculiaridades.

Algumas pesquisas provaram que uma pessoa motivada é capaz de realizar milagres, basta o empurrão certo. Evidente que o relógio da Apple pode não ser o remédio motivacional de todos, mas para alguns certamente poderá ser a diferença entre a inércia e um pouco de movimento.

Portanto, a nossa conclusão é que um relógio especial pode servir como ferramenta para uma vida mais saudável.

Boa semana para todos!