Novidades para a Apple TV

A Apple iniciou a comercialização da Apple TV como um “hobby”, hoje os números de unidades vendidas alcançam os milhões.

Pra quem gosta de games, artes, YouTube, música ou AirPlay, e possui a terceira geração dessa caixinha preta, houve uma significativa melhora do recurso mencionado. De acordo com diversos blogs, 9toMac e Cult of Mac, esse engenho poderá não mais necessitar que os dois dispositivos estejam na mesma rede de Wi-Fi… Tentamos verificar se já está disponível a atualização, mas sem qualquer resultado.

Foto: cili-chili

Aos apreciadores de arte:

Nem todos dispõe de meios para ir a qualquer hora que tem vontade apreciar uma obra como A Monalisa, mas a tecnologia tem encontrado formas de democratizar a arte. O Airplay pode ser uma poderosa ferramenta nesse sentido. Testamos o aplicativo Art Authority com o AirPlay. Poderia existir algo melhor, mas as imagens projetadas numa televisão full HD com opção de slide e música realmente podem transformar a sua casa ou sala em um museu.

Apenas aos gamers:

Independentemente da nova integração, vocês já podem conferir algumas alterações bem legais.

Descobrimos uma significativa mudança no Real Racing 3 quando espelhado na Apple TV. Os desenvolvedores daquele game parecem ter tirado uma vantagem desse recurso. Ao selecionar o AirPlay RR3, o iPhone se torna um controle interativo e a imagem do gameplay propriamente dito passa a ser projetada tão somente na tela da televisão, enquanto no controle se visualiza apenas algumas informações. Ficou interessante.

Alguns sites indicaram games que ficam bem envolventes no AirPlay:

Indicação da Macstories

Indicação do Gottamobe

O que se nota, em linhas gerais, é que os desenvolvedores ainda aproveitam muito mal esse grande recurso que é o AirPlay…

Você conhece outros aplicativos, games? Nos conte!

Escrito do meu iPhone

Anúncios

Aplicativo Voto x Veto

Alguns acreditam no poder do voto, outros não.

Há quem diga que: o povo brasileiro não tem maturidade política pra votar, a obrigatoriedade é ridícula, o sistema é completamente falido e corrupto, não existe representação política de fato, tampouco identidade dos eleitos com a população. E tantas outras críticas.

Outros defendem o voto como um dever, exercício de cidadania e um direito. Os defensores acreditam no poder do voto e na sua enorme utilidade como ferramenta de uma revolução social sem derramamento de sangue.

Ultrapassado esse atrito quem recebe fogo pesado é o atual sistema eletrônico de votação utilizado no Brasil, centro de inúmeras outras discussões.

Deixando esses debates de lado, ainda que importantes e convenientes, é dada a chance de apresentar um aplicativo de proposta bem proveitosa: Voto X Veto. O funcionamento é bem simples, a interface é agradável e funciona de forma fluída. O usuário acessa o app e lerá uma proposta sem conhecer a sua autoria, abaixo tem dois botões, “voto” e “veto”, após clicar em dos botões o app identifica a quem pertence a proposta. Existe a opção para presidente e para governador. É possível visualizar um quadro comparativo entre os candidatos e as propostas já avaliadas. O app usa a internet, pois se comunica com o banco de dados da Justiça Eleitoral. Esse é um aplicativo “must have” independente da sua opinião sobre o voto e urna eletrônica.

Link do aplicativo

iPhone 6 mais resistente que o 6 Plus? (atualizados)

Atualização: A Consumer Reports executou testes e afirmou que o iPhone 6 Plus é seguro contra problemas de entortar e mais resistente que o IPhone 6.

Em post anterior, sobre a possível existência de um “bendgate” ficou a dúvida se o iPhone 6 era tão frágil quanto o iPhone 6 Plus.

De acordo com Lewis, o mesmo que executou o teste no modelo 6 Plus, o iPhone 6 é mais resistente e não deve haver preocupação no uso normal do dispositivo.

Ao final da produção o teste é feito com um iPhone 5S. Ele se sai muito bem, nem de longe se dobra.

Vale destacar que esse teste não goza de respaldo técnico, pois trata-se de uma aferição feita sem quaisquer instrumentos e medidores que possibilitem majorar a real e precisa flexibilidade dos objetos. Apesar de nada científico o teste certamente dará um alívio em todos interessados no iPhone 6.

Segue o vídeo logo abaixo:

via Macrumors

Escrito com um iPhone que não dobra de jeito nenhum.

[Humor negro] Vídeo de iPhone 6 gera milhões de views

Os novos iPhones receberam avaliações positivas quanto a sua estética. Foi sacrificada a sonhada maior autonomia de bateria, no caso do iPhone 6, por um espessura mais fina e um aparelho ainda mais leve que o seu antecessor. Sir Ive tem uma fama de perseguir a perfeição nos detalhes. Entretanto, dois detalhes foram muito criticados, as linhas das antenas, na traseira do aparelho e a protuberante lente da máquina fotográfica. Na onda da crítica foi produzido um vídeo no qual se tenta de forma bem humorada resolver o problema. A produção já alcançou mais de 2 milhões de visualizações e contém cenas fortes, veja o vídeo abaixo.

E você, o que achou desse vídeo e dos dois detalhes criticados? Deixe a sua opinião.

O poder do Apple Pay

Esse texto foi escrito muito antes do lançamento do iPhone 6 / Plus e do Apple Pay, mas a leitura ainda é bem atual. Ele é longo, mas vale a pena:

“Se você ler os rumores, verá todos os tipos de produtos e cenários imaginários a respeito da próxima novidade da Apple. Todos esses rumores são muitos divertidos. Já ouvimos as especulações sobre uma TV de tela grande, a tagarelice sobre um iWatch, ou algum tipo de wearable vindo de Cupertino.

Ambos são considerados “café pequeno” em comparação com o terceiro item: um sistema de pagamento móvel que concorre diretamente com o PayPal e a maioria dos sistemas já estabelecidos até hoje. Há muita especulação sobre um cartão de crédito da Apple em sites como Seeking Alpha, um site que parece preocupado com todas as coisas sobre a Apple, preços, finanças e até estoque.

Aqui estão as estatísticas interessantes que chamaram minha atenção: com 575 milhões de contas ativas, a Apple tem mais carteiras digitas do que qualquer outra entidade financeira. 575 milhões de contas é 1.37 x o número total de MasterCards emitidos em todo o mundo, 3.5 x o número de titulares de cartão só nos EUA, 5 x o número de cartões no PayPal e 3.4 x o número de cartões na Amazon.

Com os serviços de pagamentos móveis globais chegando a atingir a casa de 1 trilhão de dólares até 2017, de acordo com um relatório da IDC. A Apple possui um enorme pedaço desse mercado. Esta especulação só foi desencadeada porque aparentemente algumas novas patentes de e-commerce e pagamentos foram desarquivadas pela empresa. Nos bastidores do PayPal, essa deve ser a fofoca mais comentada. Na verdade, o PayPal adoraria ter uma parceria com Apple ou até mesmo ser parte do processo.

Essa parceria poderia ser vista como “dar uma mordida no fruto proibido”, seja qual for o caso, se tudo realmente funcionar, alguns analistas vêem o PayPal um pouco mais perto do fundo de crédito da Apple de US $60 bilhões, que é substancial. Assim a Apple agora se tornaria uma empresa de serviços financeiros e um banco, bem como um fabricante e um criador de tendências.

Será que isso é exatamente o tipo de coisa que Tim Cook pode vir a anunciar só pra ver a excitação da Comunidade Apple? Depois de todo esse tempo, Cook é visto mais como um apparatchik corporativo (é um termo coloquial russo que designa um funcionário em tempo integral do Partido Comunista da União Soviética) sem inspiração que é completamente desconectado do universo do usuário médio de Apple. Implantar um sistema de pagamento móvel e um cartão de crédito da Apple é exatamente o oposto de uma idéia excitante, e não importa o quanto a idéia seja boa para os acionistas da Apple.

Em primeiro lugar, a Apple faz a maior parte de suas receitas de vendas em suas lojas de varejo. Gerir uma empresa de Finanças para lidar com todas as transações trará mais lucros, mas e se as lojas não continuarem a atrair clientes, e se elas não tiverem produtos novos e legais para mostrar? Dessa forma, esta é uma aposta arriscada para se continuar a obter lucros. Atualmente a Apple pode comprar todos os frutos do paraíso. Talvez até mesmo considere uma fusão ou aquisição, embora os frutos do mercado das empresas de cartão de crédito sejam grandes demais até mesmo para a Apple engolir.

Se ela fizer isso, ainda vai ter de lhe dar com os desafios de como tornar essa sala de frutas interessante. Pessoalmente, não vejo como ela vai fazer isso. Vai ser algo terrivelmente maçante. Tudo que a Apple não necessita é a reputação de uma empresa chata de finanças. O que vai vir logo em seguida? Qual será o próximo negócio? Seguros?”

Texto de Bruno Abreu via Comentários do Blog do iPhone